Maternidade

A Maternidade da Santa Casa de Misericórdia de São Sebastião do Paraíso - MG é referência em assistência materno infantil em gestação de alto risco e risco habitual, urgências obstétricas. Oferece estrutura tecnológica, física e trabalha com uma equipe multidisciplinar formada por Médico, Enfermeiro, Fisioterapeuta, Assistente Social, Nutricionista, Farmacêutico e Fonoaudiólogo, dispostos a todo o momento oferecer o melhor tratamento e atendimento de excelência.

 A Maternidade atende os requisitos do Ministério da Saúde e adota a prática de Alojamento Conjunto (mãe e bebê internados juntos no mesmo quarto). No alojamento conjunto é estimulada a adesão ao aleitamento materno. Diariamente, a enfermeira responsável pelo plantão visita os leitos e orienta a mãe e demais familiares em relação aos cuidados com recém-nascido, tais como: banho, curativo em coto umbilical, troca de vestuário e de fralda, amamentação (posicionamento, pega e sucção), a parturiente é acompanhada por uma pessoa de sua escolha no pré, durante e pós-parto.

Nosso compromisso com a humanização está alinhado às regras dos órgãos de saúde.

 

Casa de apoio a gestante de alto risco e puérpera.

 

Orientações

As mamães principalmente de primeira viagem precisam ficar atentas com alguns cuidados que precisam ser tomadas para poder tratar bem os bebes.

  1. Aleitamento materno exclusivo, salvo orientação especifica. Não oferecer chás ou sucos.  
  2. Não deitar o bebe imediatamente após a mamada . Manter cabeceira elevada após. 
  3. Banho de sol diário, totalmente despido- se não tiver frio (caso esteja, tentar usar roupas leves para este fim) , por aproximadamente 5-10 min de frente e de costas, antes de 10h e após as 17h. 
  4. Evitar a posição de bruços para dormir. Agasalhe o bebe com roupas (evitando cobertas pesadas e densas para este fim) e coloque cobertas embaixo dos braços, evitando que possam cobrir o rosto do bebe. 
  5. Aquecer demais é tão prejudicial quanto o frio. 
  6. O curativo umbilical deverá ser feito com algodão a álcool a 70% apenas, completamente limpo, retirando secreções. A queda do coto umbilical costuma ocorrer entre o 7° e o 10° dias de vida. Depois que o umbigo cair continue limpando com álcool 70% ate ficar sequinho. 
  7. Cinteiros são desnecessários, prejudicam a cicatrização e a respiração do bebe. Não use nenhum outro tipo de produto para este fim. 
  8. Limpe a boca do bebe com água filtrada e gaze/fralda limpa após as mamadas. 
  9. Espirros são comuns no primeiro mês, bem como a obstrução nasal. Aplicar meio conta gotas de soro fisiológico puro em cada narina antes das mamadas ajuda. 
  10. Sinais que preocupam: recusa alimentar, dificuldade de sucção, cianose (lábios azulados) respiração ofegante, febre, icterícia progressiva (pele e mucosas amareladas), hiperemia (vermelhidão intensa) periumbilical, hipotonia (bebe muito molinho). 
  11. Como amamentar? Em livre demanda, ou seja, quando o bebe quiser. Contudo, nos primeiros dias, a cada 2h e meia, não deixe ultrapassar 4h. 
  12. Um bebe saudável e ativo, evacua depois de quase todas as mamadas (isso não é regra), molha com urina 6 ou mais fraldas por dia, ganha peso. Sinais de alerta – algo está errado: mamadas muito curtas ou muito longa, urina pouco. 
  13. Levar ao Posto de Saúde, para vacinas, exames como o teste do pezinho, fundo de olho, teste da orelhinha e acompanhamento do bebe.

 
Acompanhamento mensal do bebe até 1 ano de vida é fundamental.

 

Pré Natal

A importância do pré-natal baseia-se na premissa que tudo o que a futura mamãe faz, ou deixa de fazer, durante os nove meses de gestação, tem um grande impacto na saúde do bebê. É por essa razão que é tão importante seguir à risca as recomendações médicas e fazer todos os exames recomendados pelo obstetra nos meses que antecedem o nascimento do bebê.
 
Garantir que a gestante e o nenê mantenham-se saudáveis durante os nove meses é a principal missão do pré-natal, mas o período também possui outros atributos. Além de fazer o acompanhamento do desenvolvimento do bebê e diagnosticar intercorrências clínicas e/ou obstétricas, os nove meses de gestação tem também a função de preparar o casal para o parto, assim como para a mamentação. 

A gestação é um período marcado por transformações físicas e emocionais, por isto, tanto a gestante quanto o seu companheiro têm muitas dúvidas durante este período que antecede o nascimento. Todo casal que espera um bebê deve ter respostas às suas indagações. Quanto mais seguros sobre todo o processo que está por vir, melhor e mais tranquilo será o parto. Todas as vantagens e desvantagens de cada escolha devem ser esclarecidas. 
 
Para o obstetra, a primeira consulta do pré-natal é a mais importante. Afinal, é nessa consulta que se estabelecerá uma relação mútua de confiança entre a grávida e seu médico. Geralmente, a primeira é a consulta mais demorada, pois será questionada toda história clínica da gestante, bem como todos os antecedentes pessoais e familiares, hábitos, vícios, cirurgias prévias e uso de medicamentos. 
Além disso, é nesta primeira consulta que serão solicitados vários exames como hemograma, glicemia de jejum, tipagem sanguínea + fator RH, sorologias para toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus, sífilis, AIDS, hepatite B e C, urocultura + antibiograma, exame de fezes, prevenção do câncer do colo uterino (Papanicolau) e ultrassonografia obstétrica. Muitos destes exames serão repetidos no decorrer do pré-natal, assim como a ultrassonografia, que será realizada conforme a idade gestacional.

 

Aleitamento Materno

O leite humano é muito diferente do leite adaptado (leite em pó). O leite materno contém todas as proteínas, açúcar, gordura, vitaminas e água que o seu bebé necessita para ser saudável. Além disso, contém determinados elementos que o leite em pó não consegue incorporar, tais como anticorpos e glóbulos brancos. É por isso que o leite materno protege o bebé de certas doenças e infecções.

O aleitamento materno protege as crianças de:

  • Otites;
  • Alergias;
  • Vómitos;
  • Diarreia;
  • Pneumonias;
  • Bronquiolites
  • Meningites.

Outras vantagens do leite materno para o bebê:

  • Melhora o desenvolvimento mental do bebê;
  • É mais facilmente digerido;
  • Amamentar promove o estabelecimento de uma ligação emocional, muito forte e precoce, entre a mãe e a criança, designada tecnicamente por vínculo afectivo.
  • Actualmente, sabe-se que um vínculo afectivo sólido facilita o desenvolvimento da criança e o seu relacionamento com as outras pessoas;
  • O acto de mamar ao peito melhora a formação da boca e o alinhamento dos dentes.

Amamentar tem vantagens também para a mãe:

  • A mãe que amamenta sente-se mais segura e menos ansiosa;
  • Amamentar faz queimar calorias e por isso ajuda a mulher a voltar, mais depressa, ao peso que tinha antes de engravidar;
  • Ajuda o útero a regressar ao seu tamanho normal mais rapidamente;
  • A perda de sangue depois do parto acaba mais cedo;
  • A amamentação protege do cancro da mama que surge antes da menopausa;
  • A amamentação protege do cancro do ovário;
  • A amamentação protege da osteoporose;
  • A amamentação exclusiva protege da anemia (deficiência de ferro).
  • As mulheres que amamentam demoram mais tempo para ter menstruações, por isso as suas reservas de ferro não diminuem com a hemorragia mensal;
  • Amamentar é muito prático! Não é necessário esterilizar e preparar biberões.
  • Não é necessário levantar-se de noite para preparar o biberão.

Amamentar também é vantajoso para a família:

  • A amamentação é mais económica para a família.
  • Basta multiplicar o preço de uma lata de leite em pó, pelo número de latas necessárias ao longo da vida da criança, e somar ainda o dinheiro gasto em biberões e tetinas.
  • O leite adaptado (leite em pó) é muito diferente do leite materno e a sua utilização tem riscos para o bebé:
  • Os leites artificiais usados habitualmente, são feitos a partir de leite de vaca. Por essa razão, o uso de leite artificial aumenta o risco de alergia ao leite de vaca.
  • As crianças que são alimentadas com leite artificial têm maior risco de vir a sofrer de otites, amigdalites, bronquiolites, pneumonias, diarreias, infecções urinárias e sépsis.
  • As crianças alimentadas com leite em pó, além de terem maior risco de sofrer as infecções referidas, as infecções de que sofrem surgem com maior gravidade, porque o seu sistema imunitário não recebe a ajuda dos anticorpos, glóbulos brancos e outros factores imunológicos presentes no leite materno.
  • As crianças alimentadas com leite artificial têm maior risco de desenvolver linfomas.
  • As crianças que são alimentadas com leite em pó têm maior risco de vir a sofrer de Diabetes tipo I (insulino-dependente).
  • As crianças que são alimentadas com leite artificial têm maior risco de sofrer obesidade na vida adulta.
  • As crianças alimentadas com leite em pó têm maior risco de desenvolver eczema, asma e outras manifestações de doença alérgica.
  • A UNICEF calcula que um milhão e meio de crianças morrem por ano por falta de aleitamento materno. E não se pense que é só nos países do terceiro mundo. Mesmo nos países industrializados muitas mortes se poderiam evitar com o aleitamento materno[1].

 

 

Nossos Números

Nosso crescimento e desenvolvimento, vem de cada dia, cada aprendizado, cada conquista.

Isso tudo dedicado exclusivamente a sua Vida!

Dados atualizados de Janeiro de 2017 a Agosto de 2018.

Convênios